segunda-feira, maio 18, 2009

Vocação

Sempre têm alguém me perguntando quando comecei a desenhar, e se isso têm futuro, se deveriam investir suas vidas ou de seus filhos na busca do sucesso por meio da arte e do desenho. A resposta que dou pra primeira parte é simples e rápida. Desenho desde sempre (ou pelo menos desde meus seis anos). A segunda parte da pergunta é mais complicada. Quase nunca respondo como deveria responder.
Mas hoje estava folheando um livro antigo por aqui e deparei com a síntese de tudo que penso e deveria responder pra qualquer um. O livro chama-se: "A busca do UAU! de Tom Peters, um daqueles gurus da administração muito festejado nos anos 90. Diz ele: "Faça aquilo que o entusiasma, não aquilo que as estatísticas dizem que é melhor". ... " Sem paixão, ser um biotecnologista ou um encanador é igualmente chato."
Então é isso. As pessoas escolhem suas carreiras pelo boom do momento. Já foi a Engenharia, a Medicina, ainda parece ser a Advocacia e tantos outros "ias" por aí afora. Algumas acertam por mero acaso, mas a grande maioria segue a lei do 20/80. (Conhece? Essa lei diz que 20% de nossos esforços serão responsáveis por 80% do nosso rendimento e vice-versa. Se aplica ao mundo das profissões também, creio: 80% das pessoas estão trabalhando com atividades que não lhes trazem realização e apenas 20% das pessoas são felizes na escolha profissional).
No campo das artes é impressionante como essa lei quase não se aplica. Todos os profissionais que conheço ou ouvi falar são apaixonados pelo que fazem.
Sei que o caminho é duro, difícil, mas ele nunca será chato.

Um comentário:

Igor Bragaia disse...

GRANDE GILBERTO!
concordo plenamente com vc, apesar de ainda ser criança(12 anos)eu gosto de desenhar e sonho em ser um desenhista por que eu gosto, não pq meus pais querem, ou nao querem!
abraços