quarta-feira, fevereiro 27, 2013

Enquanto assisto...


Comecei ontem essa abordagem. Já havia feito isso, mas pretendo seguir de forma mais sistemática. Coloco um dvd (filme ou série) para rodar e, prancheta, lápis e papel na mão, vou rabiscando. O objetivo não é ser fiel aos personagens, atores e atrizes retratados, mas forçar um pouco mais a fluência do traço. Em alguns desenhos, ao menos nestes iniciais, paro o dvd por um breve instante e mando ver. Mas muito do que farei neste novo marcador (Rabiscos vídeo) será feito com o filme em andamento. Uma forma de tornar-me mais rápido para enfrentar situações de desenho de observação no dia a dia. Bom, vamos ver no que dá.
A postagem sobre personagem ainda não acabou. Não postei nada neste final de semana, mas o farei breve.
Obrigado a todos pelas visitas e comentários.
Grande abraço,

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Esse subestimado, o personagem 5

Continuando...

Personagens Antropomórficos
Animais com características humanas. Andam, caminham e falam naturalmente. Referência clara ao gênero literário das fábulas.
Um grande número de obras explora essa vertente, inclusive no Brasil. Temos por exemplo, o Zé Gatão, do meu amigo Eduardo Schloesser.





Zé Gatão

































  Essas características humanas podem render bons personagens infantis e adultos. A abordagem é tão variada quanto as experiências humanas.

Fico por aqui, por enquanto. Este final de semana continuamos com a lista de tipos de personagens.
Obrigado a todos pelas visitas e comentários.

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Affective Twins via ISSUU



Olha aí pessoal. Acaba de sair a hq que fiz em parceria com o Rynaldo Papoy. Apenas 15 páginas. É clicar AQUI e começar a ler. Assim, fácil e gratuito. Espero que gostem. Depois deixem um comentário, se possível. Boa leitura! Lembro ainda que fiz a hq toda em cima do texto e roteiro do Rynaldo, sem nunca ter visto o vídeo do Paulo R. C. Barros. Fiquei sabendo que era baseado no vídeo após terminar.

terça-feira, fevereiro 19, 2013

Esse subestimado, o personagem 4

Continuando a série de pequenos textos sobre personagem.

PERSONAGENS COMPLEMENTARES
Personagens solitários podem tornar um roteiro aborrecido, pois a perfeição do herói pode ser entediante. Por isso os criadores recorrem a personagens complementares, que podem fazer coisas que seriam vedadas ao herói e tornar os roteiros mais diversificados e interessantes.
















PERSONAGENS OCASIONAIS
São aqueles que não afetam a linha fundamental de desenvolvimento do argumento. Sua finalidade é dar um respiro ao leitor enquanto segue a trama principal. Podemos listar os piratas de Asterix.












PERSONAGENS FEMININOS
Desde o início dos quadrinhos, as personagens femininas oscilaram sempre entre a eterna noiva e a mulher fatal, reflexo da sociedade da época. Hoje em dia, assim como a sociedade têm mudado, isso vêm mudando e novos tipos femininos têm aparecido.










Quinta-feira posto mais um pouco sobre esse assunto.
Obrigado pelas visitas e comentários.

domingo, fevereiro 17, 2013

Novas


Essa é a capa da HQ Affective Twins, do Rynaldo Papoy e que ele publicou na web através da plataforma ISSUU. Infelizmente a hq saiu com problemas na visualização e, por isso não deixo o link. Se o Rynaldo conseguir corrigir, publico o link depois. São quinze páginas de um conto meio ficção científica.
  O desenho do Batman fiz totalmente no Paint Tool Sai como parte de minhas metas de auto aperfeiçoamento.

Esse subestimado, o personagem 3

ANTAGONISTAS
Todo herói necessita de um vilão a que possa derrotar. Sem ele, a história ficaria sem sentido.
Alguns são a personificação do mal, sem matizes, como Ming de Flash Gordon. Alguns outros são estranhos, pois acabam nos causando simpatia e nos fazendo identificar com seus defeitos. O Duas Caras, por exemplo, é vilão por força das circunstâncias do que aconteceu a ele. (eu particularmente, acredito que uma das melhores galerias de vilões seja a do Batman).
Vilões do Superman





















ANTI-HERÓIS
Às vezes o protagonista se situa em uma região de atuação entre o bem e o mal. A ambiguidade em pessoa. Atualmente vários personagens fazem ou fizeram sucesso com esse perfil. Alguns exemplos, Juiz Dred,  O Sombra (personagem antigo, oriundo dos antigos pulps).
Acho que Jonah Hex pode se enquadrar nessa categoria também.

















Você leitor, acha que o mundo dos quadrinhos deve ser mais preto e branco, com protagonistas com personalidade bem marcados para o bem, vilões maldosos; ou simpatiza com personagens mais ambíguos?
Bom, neste início de semana, devo postar um pouco mais sobre o assunto. Verdadeiramente não é uma postagem com estudo super (ops...) profundo, mas está sendo muito bom postar essas imagens e pensar um pouco sobre esse incrível universo dos quadrinhos.
Grande abraço a todos e obrigado pelas visitas e comentários.


sábado, fevereiro 16, 2013

Esferográfica


Rabiscos à caneta Bic iniciados no trem e terminados na sala.
O traço da Bic (não é mera propaganda)  possui um charme inigualável. Outras canetas têm o seu valor, seu traço, que, dependendo do desenho, são espetaculares. Mas essa esferográfica sempre surpreende. Meus desenhos são apenas rabiscos, mas há gente que faz desenhos super realistas com essa técnica. Experimente também, se já não o faz. Uma das vantagens do desenho feito com esferográfica é o desapego compulsório à borracha. Não dá nem para pensar em apagar. É riscar e assumir seus erros e acertos e fazer dos erros talvez, novas soluções.
Ótimo final de semana a todos e obrigado mais uma vez pelas visitas e comentários. (coragem, não cobro taxa para deixar comentário por aqui...)

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Esse subestimado, o personagem 2

Continuando a proposta da postagem do dia anterior.

TIPIFICAÇÃO (Ou os diversos tipos que fazem um bom universo de HQ.)

1) Os protagonistas
2) Os antagonistas
3) Antiheróis
4) Personagens complementares
5) Personagens coletivos
6) Personagens anônimos
7) Personagens antropomórficos
8) Personagens femininos
9) Personagens inclassificáveis
10) Fagositoses


PROTAGONISTAS
A forma mais utilizada é a do protagonista (ou herói) solitário. Ao seu redor giram todos os demais. Sua simplicidade permite uma maior versatilidade com os roteiros.










Às vezes o protagonismo recae em dois ou mais personagens, o que pode enriquecer as tramas pela interatividade entre esses personagens. Caso por exemplo, de Zagor e Chico, da Bonelli Editora e Asterix e Obelix, de Uderzo e Goscinny.




Bom, amanhã ou domingo, posto mais. Lembrando mais uma vez que a minha referência principal até aqui é o blog Pecios, espanhol, como havia escrito na postagem anterior.
Obrigado a todos pelas visitas e comentários. Até lá,


Grande Tex Willer

Fiz essa arte-final hoje. Nanquim, caneta e pincel. Iria fazê-la no Paint Tool Sai, mas bateu a preguiça e o medo. Apesar de tudo, estou um pouco mais seguro e rápido quando faço na munheca mesmo. Este ano me coloquei algumas metas, entre elas fazer 10 novas pinups para renovar minha pasta, que anda jurássica. Eu havia escrito que pintaria um quadro por mês (acrílica), mas já estamos no meio do 2° mês e nada. Já sigo para dois quadros de atraso...
   Pelos menos quanto às pinups não estipulei um data tão precisa. mas tenho que correr. 

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Esse subestimado, o personagem.

Vou colocar aqui algumas considerações sobre personagens e sua criação. Na verdade é uma adaptação livre de postagem no blog espanhol Pecios. Não vou traduzir literalmente, mas dependendo do meu tempo, maior ou menor, devo acrescentar mais detalhes de outros estudiosos. Will Eisner, por exemplo, têm ótimos livros sobre personagens de quadrinhos...
Então vamos lá:

PERSONAGENS

Três pontos são importantes:
1°) Fidelização
2°) Mercantilização
3°) Autores, editores e leitores                                                                                                                                    



 A FIDELIZAÇÃO nos diz que o maior ativo com que conta os quadrinhos para atrair leitores é o personagem.
Uma vez que o leitor se identifique com um personagem, será difícil que o abandone. Preferirá seguí-lo a se aventurar com outro.


MERCANTILIZAÇÃO: Quando um personagem consegue sucesso, seu valor como mercadoria suplanta o valor que tinha como HQ. Nesse caso o autor perde o controle sobre o personagem, que adquire vida própria.





AUTORES, EDITORES E LEITORES 
Autores e editores sabem o quanto é difícil conseguir que um personagem se conecte com o leitor. Quando o conseguem, procuram prolongar a série, geralmente muito além do que é necessário. (No oriente já não é assim. Os mangás costumam ter começo meio e fim)
Porém o leitor é que sempre têm a última palavra.



Bom, vou parar por aqui. Amanhã posto mais um pouco sobre o assunto. Se você quiser adiantar a leitura, mesmo em espanhol, vá ao blog Pecios. Deixei o link no início do post.
Grande abraço a todos.



domingo, fevereiro 10, 2013

Tex


Em processo. Ainda faltam alguns detalhes. Tentando deixar meu traço mais limpo e definido para a arte-final.

terça-feira, fevereiro 05, 2013

Tex rafe

Breve posto a arte-final desse desenho. Tex é um dos meus personagens preferidos. Às vezes começo a ler suas aventuras e fico por semanas a fio lendo várias em sequência. Não é a toa que está no mercado faz tempo...

domingo, fevereiro 03, 2013

29° Troféu Ângelo Agostini


 Fiz esses rabiscos durante a palestra e na volta de trem para casa. A palestra do Cidão, Bira, Alexandre e Eduardo Vetillo discorreu sobre a produção de HQs no Estúdio Ely Barbosa, enfatizando a produção da revista dos Trapalhões. Detalhes de bastidores, técnicos e curiosidades que fazem os olhos de quem gosta de Quadrinhos brilhar...
Muito bom também, observar os originais expostos no saguão, complementando o que foi exposto na palestra. Eu na minha timidez de fã que vai a eventos geralmente só, sofro logo após eventos assim, por arrependimento de não ter sido mais proativo. Mas sempre fica uma ótima experiência de aprendizado. Este ano penso em participar mais, ir a eventos, etc...
Obrigado a todos pelas visitas e comentários.




Originais do Estúdio Ely Barbosa. 

Originais do Estúdio Ely Barbosa. 

Originais do Estúdio Ely Barbosa. 

Originais do Estúdio Ely Barbosa. 

Eduardo Vetillo desenhando. Um mestre!

Originais do Estúdio Ely Barbosa.