terça-feira, dezembro 31, 2013

Observações de rua


Último dia do ano, filas quilométricas até para comprar um franguinho à passarinho, ônibus demorado, gente na rua, fogos o dia todo (Onde acham tanto dinheiro para literalmente torrar nas últimas semanas do ano? Digo semanas porque não há quase trégua nos estopins desde o Natal!). Foi num clima assim que, munido de meu caderninho, fiz esses rabiscos enquanto aguardava o ônibus para casa. Fazia dias não desenhava de observação. Toda vez que tentava rabiscar algo, geralmente nos trens e estações, não conseguia me soltar. É bem difícil desenhar em público, e sem ser notado, mais ainda. Por isso, quanto mais pratico, não tanto o ato de desenhar algo, mas o próprio ato de se expor, mais fácil pode ficar.
   Aí está. No momento em que escrevo isso me ocorre que pode se tornar uma meta para 2014:
_ Desenhar de observação todos os dias.
    Toda vez que focamos em uma meta a ser alcançada, parece que iremos realizá-la sem sombra de dúvida. Metas apoiadas pela energia do final de ano são sempre possíveis. O difícil é no pós festa, no dia a dia, no transcorrer dos dias quase sempre iguais por que a maioria das pessoas têm de passar. Por isso, tão importante quanto ter metas, é também ter metas realizáveis, possíveis e que dependam exclusivamente de nós. Por exemplo, desenhar de observação todos os dias só depende de uma pessoa, eu. Pintar a maior obra-prima de todos os tempos? É possível, mas aí  já não depende só de mim nem de qualquer outro artista que o queira. Há uma série de fatores (muitos difíceis de entender) que norteiam e rotulam o que é uma obra-prima. Eu posso pintar um belo quadro, fazer um ótimo desenho...mas isso pode não ser o bastante. Acho que deu pra entender, não?
       Bom, vou ficar por aqui, pois estou me dando conta que já começo a escrever como terapeuta de auto-ajuda, kkk.
       Mais uma vez, FELIZ 2014 PARA TODOS, e obrigado pleas visitas e comentários.

Nenhum comentário: