quinta-feira, fevereiro 20, 2014

Trem Bão...


Viajar de trem é uma fonte inesgotável para observação de tipos variados. Não nos damos conta, mas quando olhamos com olhos de desenhista, surpreende a variedade quase infinita de combinações de narizes, orelhas, olhos, formatos de rosto, corpo, etc...
    Diante de tantas combinações possíveis, causa espanto quando vemos fotos de pessoas parecidas e sem nenhum grau de parentesco. A possibilidade de haver outra pessoa idêntica já foi inclusive matéria prima para a literatura. Edgar Allan Poe usou essa premissa em um dos seus contos, Willian Wilson. Acabei de pesquisar e deixo AQUI um link para o conto (PDF). Falo do conto apenas com minhas memórias enevoadas, pois o li faz bastante tempo.
   Bom, esta semana está corrida e tenho saído quase todos os dias pela manhã, o que abrevia ainda mais meu tempo. Hoje não é diferente, por isso obrigado a todos pelas visitas e boa quinta-feira.
Grande abraço.
 

Nenhum comentário: