sexta-feira, julho 03, 2015

Mar de distrações



Olá! Se você acompanha este blog, deve saber que gosto muito de desenhar, que nem sempre tenho o tempo que gostaria, que tenho plano B, que tenho muito a aprender ainda...
    Toda essa informação é apenas uma pequeníssima parte sobre a personalidade de quem gosta de arte nos dias de hoje.  Creio que viver rodeado de distrações torna a vida no século 21 muito mais rica que outrora, mas também muito mais desafiante para nosso desenvolvimento artístico. Afinal, distrair-se e deixar para depois aquele estudo que precisa ser feito é muito fácil. Facebook, Twiter, YouTube, Tvs pagas, Netflix, são apenas algumas das principais distrações em casa. Quando você trabalha num home office como eu, é fácil se perder...
   Por isso, quando preciso sair para ir a um cliente, à grafica, etc,...tento rabiscar algo, captar um rosto, corpo, qualquer coisa. Sem me cobrar perfeição, detalhamento, semelhança, nada. Apenas o traço pelo prazer do traço. Meio como um jogo do "vamos ver se consigo te desenhar". É bastante entusiasmante.
    Esses fiz ontem, quando ia a Pinheiros buscar uma encomenda.
   Ótimo final de semana a todos e obrigado pelas visitas.

4 comentários:

Celso Mathias disse...

Ótimos Gil. A arte deve ser antes de mais nada um prazer senão perde o sentido, pelo menos é assim que eu vejo. Gosto muito de ver artistas como você que não perde uma oportunidade de treinar os olhos e o traço. Fazemos parte do mesmo grupo. Parabéns pela nova cara do blog e por este post. Abração

Eduardo Schloesser disse...

Ao ler sua postagem parece que você está falando de mim, Gilberto. Incrível! Fico cobrando de mim mesmo: primeiro a obrigação e depois o prazer, mas hoje parece que tudo se mistura.

Seguimos na batalha.

Os esboços estão ótimos.

Abraços.

Gilberto Queiroz disse...

Muito dessa visão tenho aprendido exatamente com você, Celso. Obrigado pelo prestígio.
Abração!

Gilberto Queiroz disse...

Que bom saber que se viu no meu texto, Eduardo!
Um grande abraço!